Fábrica de Perfumes

Fábrica de Perfumes

Este post foi escrito pela nossa colaboradora Lavinia

Recentemente tive a oportunidade de conhecer uma perfumaria francesa de perto. Eu não cheguei a ir a Grasse (no sul da França), conhecida por ser a capital mundial do perfume e que concentra 3 famosas: a Galimardi, de 1747, a Molinard, de 1849 e a Fragonard, a mais novinha, de 1926. Eu até pensei em ir, mas como antes passei por Eze, de cara vi a fábrica da Fragonard, entrei nela e me contentei (achei que não valeria ir a Grasse depois da aula que tive).

Bem, em Eze a fábrica é da parte de cosméticos (cremes e produtos para o banho), mas eles tem um laboratório idêntico ao original da fábrica de produção da perfumaria.

Foi uma experiência bem legal, fica num lugar maravilhoso. A fábrica recebe ônibus com turistas e tem visita guiada; chegamos lá sem ninguém, teríamos que aguardar um pouquinho pra próxima visita guiada, mas, por sorte, uma das guias era uma cubana aprendendo o português; acho que ela mesma se interessou em nos mostrar tudo (provavelmente pra testar os estudos dela) e com isso tivemos uma visita/aula exclusiva (porque logo depois chegou um ônibus lotado para a guia que iríamos pegar).

Logo no início ela faz uma brincadeira, nos mostrando 6 potinhos de óleos essenciais, onde teríamos que descobrir de que eram. Eu acertei tudo! rs Ela nos explicou que para ser perfumista se estuda entre 5 a 10 anos, dependendo do nível de exigência do empregador. Que a grande maioria dos perfumistas eram franceses e normalmente até era meio hereditário, claro que é possível qualquer um ser, mas realmente tem que ter um dom. Além de muita dedicação porque, dentre outras restrições, o perfumista não pode comer nada com ervas (muitos temperos), não pode beber, fumar … e trabalha bem poucas horas por dia (para não “estressar” o olfato).

Depois ela mostrou como é o processo de retirada do óleo essencial da flor. Mostrou como era antigamente – feito com gordura animal. Mas hoje eles fazem por destilação a vapor. O que mais me impressionou foi que ela falou que para produzir 1 litro de óleo essencial de flor de jasmim é preciso 1 tonelada de pétalas. E para produzir a mesma quantidade de óleo essencial de rosas, é preciso ainda mais: 3 toneladas de pétalas (fiquei só imaginando no volume e em quantas milhares de rosas isso representa)! Por isso que óleo essencial puro é caro.

É tudo bem “artesanal” (tem máquinas, mas a intervenção humana é bem significativa, tanto que eles não produzem em escala suficiente para ser vendido em perfumarias normais). Eu vi por exemplo uma funcionária esculpindo um sabonete em forma de pato (ele sai da forma meio bruto, ela que faz o desenho da asa, dos olhos …), tudo manual.

Aprendi também que existem 4 tipos de perfume: eau de colônia, eau de toilet, eau de parfum e parfum (na minha total falta de conhecimento, sempre achei que eram 3 – as 3 primeiras citadas). Como está no nome, as 3 primeiras contem água na mistura. O que vai variando é a concentração do óleo e a quantidade de água. O parfum é o mais puro de todos, contem 24% de óleo essencial e zero de água (só para ter uma ideia, o eau de parfum que encontramos em qualquer loja, tem água e 20% de óleo essencial).  Ela falou que essas grandes indústrias de beleza até fazem parfum, mas só são vendidos sob encomenda. A distribução normal só se dá mesmo nas 3 versões mais conhecidas. Até mesmo em razão do preço que seria um parfum.

No final da visita vem a lojinha, claro! rs É impossível resistir à tentação de comprar algo. Ainda mais que o preço é bem justo. O parfum deles vem numa embalagem de estanho (ao invés de vidro), que conserva muito mais (protege da luz e o calor/umidade, justamente o que faz nossos perfumes ficarem com aquela coloração estranha. A vendedora até explicou que um perfume “estragado” não faz mal para a pele. Mas convenhamos que não fica um cheirinho muito agradável né?!).

Foi bem legal ver tudo de perto. Depois até fiquei pensando que em Grasse deve ser mais legal, mas com os dias corridos, preferi ver outras coisas. Mas quem tiver oportunidade, acho que vale a pena. Já ouvi falar que em Grasse você pode até montar um perfume seu – esse sim seria exclusivo! 😉

OBS: Para saber mais sobre a produção e também sobre perfumes (história e técnicas de fabricação), visite o site da Fragornard.

Share

O Stash é editado por Adriana Nunan, especialista em cosméticos de luxo, com mais de 10 anos de experiência em blogs de varejo. Psicóloga clínica e consumidora exigente, Adriana oferece uma perspectiva abrangente dos benefícios – objetivos e subjetivos – dos produtos avaliados.

Comments

  1. […] primas que podem ser extremamente caras. Mostro por que um óleo essencial pode custar tão caro: para a produção de apenas 1kg de óleo essencial de rosas, são necessárias aproximadamente 3 ton… Considerando que é uma matéria prima tão cara assim, seria muita ingenuidade da minha parte […]

  2. […] O programa falou também da Fragonard, perfumaria local, e mostrou um pouquinho da visita que fiz e contei aqui. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *